23 maio 2010

Vita detestabilis

Ó Fortuna,
variável como a Lua,
sempre cresces e decresces!



Vida detestável,
ora maltratas,
ora exaltas.



Como o Sol derrete o gelo,
assim dissolves a miséria e o poder.



Roda da sorte,
monstruosa giras,
insensível,
má e volúvel.



Velada me persegues,
me atormentas,
e por tua causa tudo perco,
A saúde inclusive, e a Vida.


Nesta hora, sem mais demora,
lamentemos juntos
O destino que esmaga o bravo
O Fortuna,
velut Luna
statu variabilis,
semper crescis
aut decrescis;
vita detestabilis
nunc obdurat
et tunc curat
ludo mentis aciem,
egestatem,
potestatem
dissolvir ut glaciem.

Um comentário:

  1. Tio Cesar,
    Adoro Carmina Burana!
    E agora com a tradução, mais ainda!
    beijos

    ResponderExcluir